Alternância de Antitérmicos

Hoje a é dia de #Dicamédica muito importante, fornecida pelo meu pediatra Dr. Fernando Azevedo. Quem quiser ler mais matérias escritas por ele, pode conferir o blog: Pediatria e arte

Não sei quem inventou, mas a coisa pegou e já existem vários relatos na literatura médica pediátrica sobre erros de dosagens de antitérmicos. É comum ter em casa os mais conhecidos tais como o Tylenol, Novalgina e Alivium. Começa um quadro febril e de imediato inicia-se o antitérmico. A febre não baixa e troca por outro e depois pelo terceiro e volta ao primeiro numa confusão danada. Soma-se a isso o custo dos medicamentos e pra que gastar dinheiro comprando três ou mais.

 

A maioria das crianças hoje é cuidada por babás despreparadas, pois os pais estão no trabalho. A febre é um sinal de alerta, é como se no painel do carro acendesse uma luz vermelha. Algo está acontecendo, alguma infecção etc. Febre abaixo dos seis meses deve se investigada imediatamente, pois pode ser um quadro grave. Acima dos seis meses elas são quase obrigatórias. Muitas vezes são atribuídas aos dentes que estão chegando, mas há uma coincidência: aos seis meses, época do aparecimento dos primeiros dentes coincide com o fim da imunidade transferida pela mãe ao bebê e ai ele vai com seu sistema imunológico reagindo aos agentes infecciosos do meio ambiente. Se estão em creche a coisa é mais frequente.

 

A febre é necessária para o combate aos vírus e bactérias que não resistem a altas temperaturas. À medida que você usa e abusa dos antitérmicos está abrindo as portas para que eles entrem sem cerimônia. Sou quase do tempo de uma prática médica chamada Termoterapia quando eram injetadas em adultos substâncias chamadas pirogênicas que provocavam elevação da temperatura corporal chegando a mais de 40graus. Essa pratica foi abandonada completamente após o uso de antibióticos, mas a verdade continua. A febre ajuda o combate à infecção.

 

O que se tem de observar é o ESTADO GERAL da criança. Se está ativa não é preocupante. Se está prostrada, irritada deve ser examinada logo. Usar anti-inflamatórios e antibióticos precipitadamente é erro grosseiro, mas muitos fazem e complica a interpretação de exames e, sobretudo identificação do agente causador da doença. Calma então com febre em criança. Hidrate mais que alimente, pois o apetite costuma diminuir e se forçar a criança vomita. Dar líquidos em pequenas quantidades e repetidamente é fundamental. Até 38 graus não use nada a não ser que a criança tenha passado de convulsão febril.

 

Faça o favor de não usar álcool nem banhos frios. O banho deve ser morno, confortável e bem aceito. Usar compressas frias na cabeça, axilas e virilhas, abdome, são procedimentos válidos. Escolha o antitérmico que a criança aceita melhor. Vá informando os sintomas e o diagnóstico deve ser feito o mais breve, mas sem precipitação.

Faça Seu Comentário