ABC Postural

Quem me acompanha pelas redes sociais, principalmente o Instagram, já deve ter visto que recentemente eu descobri que Camila estava com desequilíbrios musculares (pouca flexibilidade) e está tendo que fazer um tratamento acompanhado por fisioterapeuta. Estes problemas foram causados por má postura e por ela ter o hábito na infância de andar na ponta dos pés. E mesmo após o tratamento, ela precisará se policiar quanto aos hábitos posturais, para não regredir. Por saber que isto acontece com muita frequência e muitas vezes nós pais, por não termos conhecimento, ignoramos a real importância destes cuidados e tratamentos, resolvi trazer umas dicas, que considero valiosas, sobre este tema e nada melhor do que as fisioterapeutas que confio e sei das capacitações, por isso pedi ajuda à Andrea e Andrezza Palmeira, da Clínica Movida.  E elas gentilmente me passaram uma “cartilha postural” que irei compartilhar com vocês.

 

Quase sempre podemos ver alunos mal posicionados nas carteiras escolares, com seus corpos soltos, escorregando as pernas para frente a fim de apoiar a cabeça no encosto da carteira. O hábito de ficar sentado de qualquer jeito, sem uma postura adequada para a coluna vertebral, faz com que as pessoas sintam fortes dores nas costas, na nuca e no pescoço e, muitas vezes, nos braços. Maus hábitos posturais durante a fase escolar podem provocar ou agravar problemas de saúde nas crianças e adolescentes. Entre os principais vilões deste mal estão o posicionamento errado nas cadeiras e o peso das mochilas. Para evitar complicações no futuro, como a escoliose e a hipercifose, é primordial que os pais observem seus filhos e corrijam vícios que ocorrem dentro e fora da escola.

 

Pelo fato das crianças estarem em desenvolvimento, suas estruturas ósseas, ligamentares e musculares ainda estão em formação. Por isso, toda postura inadequada ao sentar, dormir, andar e praticar atividades físicas é capaz de provocar alterações, podendo, com o tempo, passar de uma simples compensação para uma deformidade.

 

É preciso entender que o processo de desenvolvimento não ocorre apenas na coluna, mas no corpo como um todo. Sendo assim, sem as cautelas necessárias, corre-se o risco de surgirem alterações em todo complexo musculoesquelético. A atenção deve iniciar a partir do momento que a criança fica em pé, aumentar no início de sua vida escolar, dos cinco aos seis anos, e ser mantida até o final do crescimento, em média, dos 17 aos 18 anos”.

 

1. Postura em sala de aula: Pais e professores precisam prestar atenção em fatores que promovem posturas inadequadas, como alterações visuais, auditivas e psicológicas. Nas alterações visual e auditiva o aluno assume posturas para compensar esses problemas, desta forma, ele acaba se posicionando de forma errada na cadeira, o que facilita o aparecimento da escoliose (desvio lateral da coluna). Crianças muito tímidas, geralmente, assumem posturas chamadas de fechamento, o que pode gerar a hipercifose (aumento da curvatura da região dorsal). Portanto, fique atento, pois a maneira correta de permanecer nas cadeiras é sentar sobre o osso isquio (debaixo do glúteo), manter as costas retas e próximas ao encosto e ter os pés apoiados no chão.

 

2. Lição de casa: O estudo em casa também requer cuidados. É preciso evitar que a criança passe muito tempo utilizando o computador para não ocorrerem complicações posturais. A posição correta ao utilizá-lo é semelhante a que deve ser adotada em sala de aula: sentar sobre o osso isquio (debaixo do glúteo), ter os materiais próximos, encostar a coluna na cadeira, ter os pés apoiados em uma superfície em forma de cunha no chão e manter os membros superiores sobre algum dispositivo na cadeira. É necessário que a tela do computador esteja em uma altura compatível aos olhos.

 

3. Mochila: O excesso de peso das mochilas compromete o equilíbrio postural e, se a criança ainda adotar uma postura errada, mais problemas podem aparecer. O mínimo de peso deve ser carregado por crianças para não alterar o processo de desenvolvimento musculoesquelético. Para tanto, incentive levar os livros e cadernos que serão utilizados apenas no dia e verifique se o peso está equilibrado, sem sobrecargas em apenas um lado, o que também é prejudicial. Na hora de escolher a mochila, procure modelos adequados ao tamanho da criança e com formas simétricas, ou seja, que possuem duas alças e encosto maleável, permitindo que o peso seja transportado de maneira equilibrada.

 

4. Fique de olho: As alterações nas estruturas ósseas, ligamentares e musculares ocorrem de forma silenciosa, por isso, a dica é observar: algumas crianças podem relatar desconforto na coluna, porém, é importante também ficar atento em relação ao seu alinhamento corporal. Algumas sugestões são: deixar a criança sem camisa para verificar se há alterações, como um ombro mais alto do que outro, e checar qual é a maneira adotada ao sentar.

 

5. Pés no chão: Em momentos apropriados é interessante incentivar a criança a andar descalça sobre areia ou grama. Este é um meio de estimular a propriocepção do pé, capacidade em identificar e perceber seus movimentos articulares no espaço, que auxilia no desenvolvimento adequado da criança, em relação à postura.

 

A infância e a adolescência são dois períodos da vida em que nos deparamos com inúmeras descobertas a respeito do mundo e de nós mesmos. Nestas fases as crianças e os adolescentes passam por uma série de alterações psicológicas, afetivas, sociais e físicas. As alterações posturais relacionadas às posturas inadequadas são distúrbios anátomo-fisiológicos que se manifestam geralmente na fase da adolescência e pré-adolescência.

 

É nesse período de pico de crescimento que a coluna vertebral se desenvolve com maior rapidez, provocando, algumas vezes, um crescimento desigual das vértebras ou um desenvolvimento desequilibrado da musculatura dorsal. Tendo essas desigualdades e descompensações se instalando no indivíduo, a chance de alterações da curvatura do tipo escoliose provavelmente vai surgir.

 

Sinais que podem denunciar problemas são: um ombro mais alto do que o outro, o ângulo da cintura mais fecha do que o do outro lado, elevações nas costas ao inclinar o tronco à frente ou roupas desalinhadas. Uniformidade nos tamanhos e modelos das carteiras em uma mesma escola, para deixar os ambientes mais harmoniosos e bem decorados. Pelo contrário, as carteiras devem estar de acordo com o tamanho da faixa etária dos alunos, permitindo que seus pés toquem por completo ao chão, estando com a coluna apoiada no encosto da mesma e os braços possam ficar apoiados na altura normal, sem estar alto ou baixo demais. Se a criança fica mal sentada, com a coluna torta, o corpo mal disposto sobre a carteira, poderá criar vícios de postura que prejudicam sua saúde por toda a vida.

 

Muitas vezes vemos os alunos queixando-se de um excesso de cansaço e preguiça inexplicáveis para a idade em que se encontram, o que pode ser uma das grandes causas da má postura na escola. Se a escola perceber que o aluno apresenta sérios problemas posturais, poderá indicar para a família do mesmo um especialista para amenizar o problema. Existem profissionais fisioterapeutas que trabalham com os exercícios que ajudam a correção da postura, como o de RPG – Reeducação Postural Global, que utiliza posições corporais básicas de alongamento para corrigir a postura do paciente e eliminar suas dores, assim como atividades físicas que beneficiam a correção postural e educam para vida como, por exemplo, o pilates e alongamentos posturais bem orientados.

 

Quem gostou das dicas, pode deixar comentários ou outras dúvidas aqui e pode também seguir as fisioterapeutas nas redes sociais através da clínica: Facebook: clinicamovida e no Instagram @clinicamovida

Alimentação saudável nas férias

 

Rotina não combina com férias. E com a rotina alimentar não poderia ser diferente. Com os períodos sem aulas, a alimentação sofre algumas alterações. Dormir tarde, acordar mais tarde ainda, viagens, praia, piscina. Os pequenos tem acesso a alimentos diferentes, e costumam ficar mais propensos a abusar um pouco mais das guloseimas. Pensando em auxiliar mães e pais nessa batalha da alimentação saudável nas férias, pegamos umas Dicas com a nutricionista da Emagresee, centro de emagrecimento localizado no Parnamirim, Fernanda Araújo, e ela elencou algumas dicas importantes de como cuidar da alimentação dos miúdos durante as férias:

 

1  – “É importantíssimo respeitar o horários das refeições. Mesmo a criança acordando um pouco mais tarde, ou próximo ao horário do almoço, ela deve se alimentar ao menos com uma fruta”.

 

2 – Quase sempre a volta das férias é acometida por casos de gripes e resfriados. Para que não aconteça com o seu pequeno, a dica é aproveitar as frutas da época, que são os morangos, tangerina, caju e banana, que são boas fontes de vitamina C”.

 

3 – A hidratação é fundamental. Por isso, abuse de água, água de coco e sucos para manter as crianças hidratadas.

 

4 – Para controlar as frituras e guloseimas, Fernanda aconselha: “quando o menu pedir batata frita, opte por assar ao forno ou  Air Fryer, sem imersão em gordura. Já o cachorro quente, outro prato queridinho dos pequenos, prefira os feitos com carne moída e com poucos molhos.

 

Para refrescar, abra mão do sorvete tradicional e opte por picolés de frutas feitos com pedaços de fruta e água de coco ou iogurte.

 

Já o chocolate, a ingestão deve ser de 30g no máximo, e de preferência, 50% cacau.

 

Pipoca natural feita em casa, tá liberado”.

 

5 – Se a criança ainda estiver na fase de beber leite na mamadeira, opte por levar o pó do leite e da mistura em um potinho. “Se for levar uma fruta, opte por levá-la inteira e picar apenas na hora do consumo. Para crianças a partir de 01 ano não amassar as frutas, a mastigação é muito importante”, finaliza Fernanda.

 

E então, depois destas dicas, você acha que consegue melhorar a alimentação das rianças durante as férias? Acho que sim!

Livros com praticidade no Varejão do Estudante

 

Final do ano chegou, as crianças estão entrando de férias e agora o que mais queremos é aproveitar ao máximo ao lado delas, não é mesmo? Mas para isso algumas coisas precisam ser feitas e providenciadas, pois o ano letivo acabou, mas já já se inicia o próximo, e tudo tem que estar devidamente organizado, para evitar dor de cabeça e gastos extras…

 

Uma destas tarefas que sempre tomam um tempo enorme é a compra do material escolar, pois temos que ficar indo de loja em loja para encontrar tudo, muita perda te tempo e de paciência… E  é pensando nisso que eu trouxe uma dica para facilitar parte deste processo: Vocês conhecem o site do Varejão do Estudante? É uma livraria que vende online para TODO o Brasil, onde basta colocarmos o nosso estado, a escola da criança e a série, que rapidamente já receberemos toda relação dos livros, com seus referidos preços. Praticidade total, pois compramos sem nem sair de casa e eles entregam tudo bem rapidinho!

 

E se não bastasse a praticidade da compra online, eles ainda têm uma ótima forma de pagamento. Quem comprar o material até o dia 21 de janeiro de 2018, poderá parcelar a compra em até 12 vezes sem juros (com parcelas mínimas de R$40,00, nos cartões de crédito Visa, Master, Elo e Diners e em 10 vezes no Hiper). E neste prazo, a pessoa que comprar acima de R$600,00 terá o frete gratuito (para quem mora em Recife ou Região Metropolitana).

 

Mas se você é o tipo de pessoa que gosta de ir na loja, ver e pegar o livro antes de comprar, o Varejão também tem loja física, que fica na Rua Manoel Borba (nº267/283), bairro da Boa Vista (por trás do Shopping Boa Vista, com amplo estacionamento). A forma de pagamento será igual para a loja virtual ou física, maiores informações vocês podem se informar através do telefone (81) 2123-5853.

Carolinie Figueiredo em Recife

foto: divulgação

“Educar filhos num paradigma de respeito mútuo é um desafio, ainda mais pra quem recebeu uma educação pautada no medo, ameaças, gritos e punições. Quando estamos na exaustão é ainda mais complicado.

Para a Disciplina Positiva trabalhar a Firmeza e a Gentileza ao mesmo tempo é como um mantra a ser repetido!

Firmeza para ancorar o respeito a mim e à situação que precisa ser resolvida.

Gentileza para acolher e respeitar a criança, que precisa de apoio pra compreender.

É possível, sim, educar sem gritos e ameaças, mas ser firme e gentil requer treinamento, desconstrução e uma rede de apoio pra percebermos que estamos todos no mesmo barco de educação e conexão com os filhos!”    Carolinie Figueiredo 

 

Quem for de Recife e quiser conhecer o trabalho dela como educadora parental pela Positive Discipline, não pode perder esta oportunidade, onde ela irá abordar assuntos como: Criação no medo, ameaça e punição pode macular a auto-estima, o poder pessoal e auto-confiança. Educar com violência é um ciclo. É preciso buscar recursos, ferramentas, auto-conhecimento e estudo.

 

Fica ligado, pois serão três momentos, mas vocês podem fazer um pacote e participar de tudo com desconto, para isso entrem em contato com as organizadoras do evento, Cláudia Bettini do Corujices, Manoela Torres, do grupo Mãe Nutrizz, e Eduarda Morais, do a.Cor.da.terapia

 

Vai ter, na Casa das Asas, no sábado (04/11):

Roda de conversa sobre Criação de Filhos: Quebra de Padrões (manhã – 9h as 12h30)

Aprofundamento em Disciplina Positiva (tarde – 14h as 18h)

Para pais e mães (filhos são bem vindos)

 

 No domingo (05/11), na Casa do Pina:

Vivência para Mulheres (9h30 as 16h30, com almoço incluso)

Mergulho em Si: Despertar, Empoderar, e Libertar

 

Serviço:

* Roda de Conversa – Criação de filhos: Quebra de padrões

Dia 04/11 (Sábado)

Manhã: 9h as 12h30

Local: Casa das Asas

Valor: R$90

Promocional até dia 27/10 – R$60

 

* Aprofundamento em Disciplina Positiva

Dia 04/11 (Sábado)

Tarde: 14h as 18h

Local: Casa das Asas

Valor: R$200

Promocional até dia 27/10 – R$160

 

* Vivência para Mulheres

Mergulho em Si: Despertar, Empoderar e Libertar

Dia 05/11 (Domingo)

Horário: 9h30 as 16h30 (almoço incluso)

Local: Casa do Pina

Valor: R$230

Promocional até dia 27/10 – R$190

 

Endereços:

Casa das Asas – R. Dom Sebastião Leme, 81, Graças

Casa do Pina – Rua José Paes de Barros, 517, Pina

 

Informações:

Email: carolinieemrecife@gmail.com

Whatsaap: (81) 9.9959.2375 – Cláudia / (81) 9.9490.5104 – Manoela

5 passos para uma maternidade mais leve!

 

É com grande alegria que hoje começamos mais uma parceria aqui no blog e desta vez trazendo uma nova colaboradora: Willa Marques – ela é Psicoterapeuta comportamental, Coach pelo Life Coach Institute, autora do blog psimaterna. Espero que gostem tanto quanto eu desta parceria e que ela seja duradoura! E para começar Willa vai abordar um tema que acredito que interesse a maioria das mães, como podemos tornar a maternidade mais leve e consequentemente sermos mais felizes!

 

Sempre que reúno mães gosto de perguntar a palavra que define o dia o seu dia a dia materno e quase de forma unânime a palavra que mais escuto é CANSAÇO! Sim, a maternidade nos traz grandes alegrias, mas é um fato que o cansaço também passa a fazer parte de nossa rotina e algumas atitudes simples em nosso dia podem diminuir o desgaste da mais sublime jornada.

 

1º PARE DE SE COMPARAR COM OUTROS

Comparar-se com os outros não faz você melhor e não vai ajudá-la a alcançar seus objetivos. Na verdade, muitas vezes faz com que nos sintamos inadequados e mais como uma falha, uma vez que estamos nos concentrando em nossos medos, enquanto admira as realizações superiores de outra pessoa. Não é um plano saudável para a felicidade. Seu trabalho é avaliar suas prioridades, definir suas metas de acordo com essas prioridades e agir sobre esses objetivos. Quem sabe que metas essas outras pessoas têm?

Lembre-se, também, que tudo o que você acredita é verdade. Então, se você acredita que não é boa o suficiente, suficientemente inteligente, você vai procurar ao redor até encontrar “prova” de que sua crença é verdadeira. Quando você se compara com os outros, você normalmente está tentando provar alguma limitação da auto-crença de que você realmente precisa chutar para o meio-fio.

 

2º PARE DE TENTAR AGRADAR A TODOS

Todo mundo que você conhece, se você pedir ou não, provavelmente tem uma opinião sobre você, sua casa, sua vida, seus filhos, seu trabalho, etc. Essas opiniões não são tão importantes quanto sua própria determinação de suas prioridades. É claro, é completamente normal querer que os outros validem o que você sente. Eu entendo, mas o verdadeiro juiz é você. Confie em si mesmo e lembre-se de agir de acordo com suas próprias prioridades e objetivos.

 

3º MANTENHA PRÓXIMO AS PESSOAS QUE ACREDITAM EM VOCÊ

Os seus amigos, familiares e as pessoas que você vê e conversa regularmente fazem você se sentir bem consigo mesmo? Eles respeitam seus objetivos e honram suas prioridades e limites? Se não, é hora de fazer algum trabalho de limpeza em seu meio social. Cerque-se de pessoas que te apoiam, acreditam em você, querem vê-la alcançar o sucesso em seus próprios termos. Pare de deixar que os vampiros de energia e os que não gostam de você tomem seu tempo.

 

4º TENTE ALGO NOVO

Muitas mulheres tornam-se muito mais contidas após a maternidade, e devido a isso não conseguem equilibrar todos os seus papéis. Muitas acabam se entregando apenas a mãe, esquecendo que todas as suas partes merecem atenção. Por isso te digo, tente algo novo! Eu amo esta citação de Mark Twain: “Daqui a vinte anos você sentirá muito mais as coisas que você não fez do que por aqueles que você fez. Então jogue fora as amarras. Navegue para longe do porto seguro. Pegue os ventos alísios em suas velas. Explorar. Sonho. Descubra.” Se você está preso em uma rotina, incapaz de se concentrar, pode ser que você só precise agitar as coisas um pouco, seja na sua vida profissional ou na vida. Pense sobre seus filhos: é incrível como eles se sentem orgulhosos quando tentam e realizar algo novo, não é? Quando foi a última vez que você fez o mesmo? A sacudida da confiança em aprender a dançar, tocar piano, gravar um vídeo ou iniciar um blog pode ser totalmente revigorante em várias áreas de sua vida.

 

5º Aprenda a apreciar o seu PRESENTE

Sempre percebo mães com um certo apego no passado, outras anseiam pelo futuro, quando os filhos crescerão e não serão mais tão dependentes de si… Mas como dizem, “O presente é um presente.” O passado deve vir a tona, mas apenas como um ponto de referência, também é necessário olhar para a frente e imaginar o futuro que nós queremos, contudo, é um crime não conseguir olhar o seu presente. Olhe para o seu hoje e futuramente poderá olhar para trás com saudades, mas sem arrependimentos, pois terás conseguido apreciar o momento!

 

E então gostaram?? Quem quiser sugerir temas ou tirar alguma dúvida pode me enviar por email (regina@dicasmiudas.com.br) eu escrever aqui nos comentários mesmo!