Entrevistas de Carnaval: Luciano Magno

Dando continuidade a nossas entrevistas com Cantores do Carnaval Pernambucano, vamos conhecer um pouco sobre Luciano Magno!

 

Nome: Luciano Magno

 

Profissão: Compositor e instrumentista

 

Idade (se quiser dizer kkkk): 42

 

Como começou sua relação com o carnaval? Ainda garoto, gostava muito do carnaval de rua, nas cidades do interior de Pernambuco. Meu pai me levava para Pesqueira, sua cidade natal e também para Arcoverde. Lá, as pessoas brincavam nas ruas, com água, com talco… Aquele mela-mela, sabe?

 

Qual a sua lembrança mais antiga do carnaval? Músicas, cantores e fantasias? Lembro que gostava muito das fantasias de super heróis, os da Marvel, por exemplo. Me vesti de Homem Aranha, Superman, Batman… Apesar de ser filho de pernambucanos, nasci em Paulo Afonso, no sertão baiano. O melhor clube da cidade fazia bailes infantis, um matinê de carnaval, com orquestras de frevo. Eram executadas músicas de Capiba, Luiz Bandeira, Alceu Valença, Elba Ramalho, Gal Costa, Moraes Moreira, bem como os frevos de rua clássicos, a exemplo de Último dia e Vassourinhas. Também ainda estava em voga as marchinhas de carnaval como O Teu cabelo não, Mamãe eu quero, Máscara Negra, por exemplo.

 

Créditos: Fotos do arquivo pessoal de Luciano Magno

 

Gostava  de brincar carnaval? Aonde?

Sim, mas depois que comecei a tocar, praticamente não brinco carnaval, pois minha agenda é ampla durante a festa e minha brincadeira é no palco mesmo.

 

Se fantasiava? Qual a fantasia favorita? (Se puder mandar alguma foto quando criança)

Sim, me fantasiava!  Aquelas fantasias de monstros sempre faziam um sucesso danado, rsrsrs.

 

Como foi o primeiro carnaval em que você participou cantando?

Cantei e toquei ainda garoto, nos bailes de carnaval da minha cidade natal, a partir dos 12 anos de idade.

 

Como foi ouvir as pessoas cantando suas músicas nas ruas?

Sou um compositor de frevos de rua. Frevos instrumentais. Recentemente, estou compondo letras carnavalescas com vários parceiros. Tenho parceiros como o André Rio, João Araújo e Moraes Moreira, que fez uma letra para uma música minha, que gravarei pro carnaval de 2015.

 

Qual o seu primeiro sucesso? E o maior sucesso?

Os meus frevos: Frevo Mágico e Pisando em Brasa, tem atraído a atenção de muita gente que se interessa por música de qualidade em todo o país, haja vista a quantidade de solicitações que recebo por email ou mensagens nas redes sociais, pedindo o envio de partituras destas composições.

Pisando em Brasa, foi a música vencedora do Festival de Música Carnavalesca do Recife 2011, ganhando o 1º lugar frevo de rua e o melhor arranjo de todo o festival.

 

No Carnaval qual o bloco ou festa preferido? Tipo o Xodó?

O meu favorito é o Galo da Madrugada, onde o Recife praticamente para, prestigiando o desfile.

 

O que não pode faltar num bom carnaval?

Não pode faltar energia e disposição para quem é folião.

 

Qual música de carnaval para você toda criança deveria conhecer? (nome e compositor)

Vassourinhas(Matias da Rocha e Joana Batista) ainda vai continuar sendo por muito tempo a nossa maior marca.  É a primeira música que deve ser apresentada, na minha opinião.

 

 

Para você qual o ícone do frevo (Compositor e cantor)?

São muitos, eu seria injusto em citar apenas um.

Nomes como Alceu Valença, André Rio, maestro Spok, maestro Forró, entre tantos outros, estão aí para nos representar.

 

Qual lugar representa o carnaval, mesmo em outras épocas?

Lembro muito do Centro do Recife, da Dantas Barreto, da Guararapes, quando vinha com meus pais visitar a cidade, nos carnavais da minha infância.

 

Quem é de fora e vem à Pernambuco qual lugar poderia visitar para sentir um pouco o clima e a alegria do nosso carnaval?

O Bairro do Recife e o sítio histórico de Olinda. Estes lugares são o cartão de visita do nosso carnaval atual.

Para finalizar:

Um trecho de música que signifique muito que represente o carnaval para você? Por quê?

Voltei, Recife
Foi a saudade
Que me trouxe pelo braço
Quero ver novamente “Vassoura”
Na rua abafando
Tomar umas e outras
E cair no passo

(Luiz Bandeira)

 

 

Representa a alegria do reencontro com a cidade. Para quem viaja muito, como é o meu caso, a identificação com estes versos é imediata.

Faça Seu Comentário