Manu não queria se inflar

Quando comprei este livro duas coisas me atraíram nele: primeiro o nome da minha pequena estava no título kkkk e depois o conteúdo casava direitinho para a minha mais velhinha. Seria o mesmo que matar dois coelhos com uma única cajadada.

Mas nem tinha pensado em indicá-lo, quando hoje precisei dele para exemplificar algumas coisas à minha filha e percebi que ele era bem melhor do que eu tinha achado inicialmente. Deixa eu explicar melhor…

 

Minha filha é um verdadeiro docinho (não é coisa de mãe não). Ela é muito meiguinha e se preocupa até demais com o bem estar e felicidade dos outros, mesmo que isto a machuque. E há algum tempo venho observando que muitas vezes ela se magoa com as situações que a vida lhe impõe, mas não sabe se defender… E esta semana ela se encontrou numa destas situações, quando uma coleguinha da natação estava batendo nela (não era a primeira vez), mas ela não revidava e nem dizia a professora para que esta não brigasse com a coleguinha… Foi demais para mim, ver minha filha aos prantos, sem saber como se defender e “protegendo seu agressor”. Não sou adepta da violência, e acho que o diálogo é o melhor caminho, mas muitas vezes, infelizmente, ele não resolve nossos problemas. E hoje me vi olhando, nos olhinhos da minha filha (cheios de lágrimas) e mandando ela revidar na mesma moeda. “Filha, você tem que se defender! Se a coleguinha der em você, dê de volta. Você já tentou conversar e não adiantou, não foi?! Então agora é o seguinte: não fale mais com ela e se ela vier te machucar revide, só devemos querer amizade com quem faça por merecer!”

E minha princesinha ainda olha para mim e diz: “mas mãe ela vai ficar triste… e eu prontamente respondi “antes ela do que você, meu amor. Sei que não devemos querer que ninguém fique triste, mas às vezes é preciso sofrer para aprender e talvez seja isso que ela esteja precisando, ficar sem amiguinhos para poder dar valor e ver que da forma que ela trata os outros, ninguém vai querer ficar ao lado dela.

 

Não sei se agi corretamente, mas meu coração falou mais alto e não aguentava mais ver minha filha chorando injustamente e ingenuamente. E este livro me ajudou, pois ele fala que as pessoas precisam aprender a se defender. Ninguém sabe quando vai precisar, mas em algumas situações se não soubermos nos defender, pode ser que não tenha ninguém para interceder por nós!  E após lermos juntas e eu exemplificar algumas coisinhas para ela, acho que consegui plantar uma sementinha…

 

E por aí, como vocês agem nestas situações? Vale o “olho por olho, dente por dente?” E quando o nosso filho é que é o agressor e os outros revidam, como você age???? É um bom tema para abordar com as crianças, mesmo que ela não esteja vivenciando, mas com certeza tem algum coleguinha que bate ou apanha…

 

 

Sinopse:

Manu era um peixe-balão diferente, ela não gostava de ir à escola e nem de brincar com seus amigos… Ela só gostava de ficar em casa! Certo dia ela se recusou a participar de uma aula prática na escola, mas o conteúdo de tal aula era muito importante. Será que ela precisaria dele no futuro? Com essa história, as crianças aprendem que saber como se defender é muito importante.

 

A coleção aprendendo com os animais traz importantes histórias que auxiliarão pais e professores na educação das crianças. Cada página conta com belas ilustrações das narrativas, com as quais as crianças poderão se identificar e compreender que  maus comportamentos geram consequências negativas. Ao final, você encontrará dicas de atividades elaboradas por uma pedagoga que contribuem para um aproveitamento mais rico da história por parte das crianças.

 

Ficha Técnica:

 

Livro: Manu não queria se inflar (Coleção Aprendendo com os animais)

Autor: Shefali Kaushik

Tradução: Rita Lisboa

Ilustração: Young Angels

Editora: Editora Cedic

Indicado: para crianças a partir de 5 anos

Faça Seu Comentário