Sling: Segurança – cuidados importantes!

Uma coisa que faz com que muitas pessoas deixem de usar o sling é o medo e a insegurança, mas se você tiver atenção e cuidado na hora do uso e da escolha do produto não terá nenhum risco e para esclarecer algumas dúvidas mais uma vez buscamos a colaboração de Mariana Mesquita que além de mãe usuária de sling ela também a responsável pela Sling Casulinho. para nos dar alguns “toques” importantes.

 

Segurança – Precauções  durante  o uso

 

Na imagem, podemos ver as seguintes posturas:
CORRETA – queixo elevado, o rosto do bebê deve ser sempre visível a quem usa o sling, boca e nariz devem estar livres para respirar.
ERRADA – rosto do bebê coberto.
ERRADA – bebê muito abaixo.
ERRADA – bebê posicionado com seu queixo de apoio contra seu pescoço.
ERRADA – rosto do bebê pressionado contra o tecido do sling.

 

O adulto deve certificar-se de que seu bebê pode respirar quando estiver dentro da peça, o que é essencial no caso dos recém-nascidos. Lembre-se sempre de verificar se há abertura para o ar circular e nunca permita que seu bebê fique posicionado com o queixo encostado no tórax. Esta regra se aplica não apenas para slings, mas também para quando carregar seu bebê nos braços, em bebês conforto, ou em qualquer outra situação do gênero, porque esta posição pode restringir a habilidade de respiração dos recém-nascidos.

 

Além disso, nunca substitua um assento para veículo por um sling: ele não oferece a segurança necessária para se transportar um bebê num veículo. E ao circular, olhe onde pisa! Tenha cuidado redobrado em escadas, degraus e pisos em desnível. Se possível, evite saltos altos, calças de pernas largas, saias muito longas, ou qualquer tipo de situação que possa favorecer o risco de quedas. Lembre-se que você está ocupando um espaço maior. Tenha cuidado ao passar através de portas, multidões, objetos angulosos, etc. E, embora muita gente o faça, é complicado usar sling para andar de bicicleta ou ficar perto do fogão, por motivos óbvios. Use o bom senso.

 

Segurança – Argolas, costuras e outros detalhes essenciais na fabricação

 

Muita gente, ao ver um sling, acha que é uma coisa simples de fazer. E é,  mas todo o processo precisa ser visto de forma cuidadosa, utilizando material testado e adequado para essa finalidade. Infelizmente, no mercado brasileiro é muito difícil de se encontrar slings seguros à venda, especialmente nas lojas de bebês costumeiras – onde abundam peças feitas de tecido grosso, ou fraco, com argolas de plástico, madeira, latão e outros materiais fáceis de quebrar e, pior, vendidos por pessoas que não sabem explicar como usar. Tem muita gente comercializando peças inadequadas por aí, algumas a preço de banana e outras, mesmo ruins, por valores exorbitantes.  Aí, os pais acham que estão fazendo algo de bom para seus filhos e, na verdade, estão comprando uma armadilha que pode causar acidentes sérios a qualquer momento. Algumas pessoas são inescrupulosas, querem ganhar dinheiro barateando custos e sem se importar com segurança…  Esse é, infelizmente, o aspecto ruim do sling ter virado artigo fashion, “da moda”. Por isso, a melhor arma é a informação. É  preciso tomar cuidado e pesquisar na hora de adquirir o “seu” sling.

 

Os fabricantes sérios de sling, no Brasil, têm se reunido para procurar achar maneiras de divulgar a filosofia do babywearing e evitar que as pessoas comprem slings inseguros. No Recife, três fabricantes se reuniram para formar o grupo Maternaço (Casulinho, Enquanto eles dormem e Fio da Terra), que se reúne periodicamente, de forma gratuita, para falar a respeito de slings e outros temas importantes para as famílias e seus bebês. Essas reuniões são ótimas oportunidades para trocar informações. Desde já, sinta-se convidado(a)!

 

O perigo de adquirir um sling inseguro (que nem sempre é “baratinho” e visivelmente ruim) vai desde a pessoa não conseguir usar adequadamente a peça, ficando impedida de usufruir dos benefícios de um bom sling, até acidentes sérios. Não há nada do tipo relatado em nosso país, mas nos Estados Unidos já houve casos de bebês que fraturaram a cabeça após despencar de um sling de má qualidade que partiu.

 

Veja abaixo algumas dicas importantes, para saber se um sling é seguro!

 

Na maioria dos modelos, o ideal é usar tecido 100% algodão, que é mais fresco e confortável e também evita possíveis alergias, já que a pele dos bebês é bem sensível. Não pode ser um tecido grosso demais, por causa do calor, nem fino demais, pelo risco de rasgar com o uso. Uma boa opção é a tricoline ou percal de boa qualidade, com 180 fios ou mais.   No caso dos wraps, malha de algodão é uma boa pedida.

 

A costura, especialmente a que prende as argolas, tem que ser reforçada e feita com linha de qualidade.

 

As argolas são um item-chave no sling, e também um dos componentes mais caros. Não podem ser abertas, nem ter emendas ou soldas (mesmo soldas bem acabadas).  Têm que ser roliças, e não chatas, senão vai ficar difícil puxar/ajustar o pano. Elas também não podem ser ocas, de “metal banhado”, de madeira, de plástico...  Existem coisas pavorosas sendo utilizadas em slings, como argolas de cortina e fivelas de bolsa. Acho que o povo esquece que aquilo ali vai carregar um bebê!

 

Uma argola tem que ser resistente a peso e a impacto, e não pode ter emendas porque, mesmo que não quebre, ao roçar no tecido este, com o tempo, poderá esgarçar e romper. Pelo mesmo motivo, não se pode usar argolas chatas, fininhas, que além de partir podem rasgar o tecido. Quanto às argolas “banhadas”, podem descascar e enferrujar, além do risco da criança pôr na boca e engolir eventuais resíduos tóxicos. Assim, restam três tipos possíveis de argolas confiáveis: de nylon, de inox e de alumínio, todas testadas para esse tipo de uso.  Sempre roliças, maciças e sem emendas nem rebarbas.

 

Dicas de segurança extras: é importante checar sempre se as costuras estão firmes e se o tecido está inteiro, preservado, sem rasgões ou “esgarçados”.  Geralmente,  slings de qualidade podem ser lavados à máquina, normalmente, tomando o cuidado de, no caso dos slings de argola, protegê-las para evitar danos à lavadora. Para mais informações sobre segurança dos slings cliquem aqui!

 

Para ver outras matérias que já postamos sobre slings clique aqui: O que é Sling?, Alguns modelos e suas características, Segurança – modelos industrializados. Espero que tenham gostado e caso ainda tenham ficado com alguma dúvida podem perguntar regina@dicasmiudas.com.br!!!!

Faça Seu Comentário