Amizade de infância!

Elas são tão pequenas, mas com apenas 5 anos já podem dizer que possuem uma grande amiga! Elas já compartilham momentos e muitas emoções há 4 anos… E você e seus filhos têm amigos assim? A minha já chegou a falar que a amiga era irmã… Coisa mais linda que me faz ter muito orgulho!

 

Hoje 20 de julho é comemorado o Dia do Amigo!! Você já mandou um beijo especial para os seus amigos? Você tem amigos de infância? Lembra de histórias e tempos bons vividos juntos? Seus amigos atuais, os de maior contato são de que época da sua vida?? Pois é exatamente sobre este assunto que iremos falar hoje: Amigos e sua importância.

 

Quando os pequenos entram na escola o convívio diário com tantas outras crianças é diferente do que eles estavam acostumados, mas logo eles se acostumam e começam a querer cada vez mais este contato, começam a se formar os “grupinhos” de amigos as afinidades começam a aflorar… E diferente do que muitos pais pensam: “que é bobagem alimentar estas amizades”, mas elas são super importantes para a socialização e formação da criança.

 

A partir dos 2 anos é que as crianças começam a se interessar umas pelas outras, e isso pode ser observado através das interações e brincadeiras. Antes elas são mais individualistas e na maioria das vezes preferem brincar sozinhas ou com adultos.

 

Como eu disse acima, é importante que os pais incentivem o cultivo deste convívio, pois estes novos relacionamentos fazem com que a criança se sinta mais segura e acolhida. Prova disso é quando uma criança não se intimida em uma situação nova, pelo simples fato de ter a companhia de uma amiguinho.

 

Pesquisando sobre este assunto,  descobri que “estudos nos EUA, comprovam que as relações formadas dos 6 meses de idade até a adolescência exercem enorme influência na vida das pessoas, promovendo sentimentos positivos e contribuindo para administrar problemas que surgirão mais para frente, como a rejeição. A amizade pode, inclusive, prevenir sentimentos de solidão e até de depressão.”

 

Com a convivência e troca de experiências as crianças começam a perceber que existem outras realidades, hábitos, histórias, modelos de família, experiências que só são possíveis na relação com outra criança. É importante que os pais sejam mediadores destas amizades, mas sem forçar e impor situações. Nós pais temos que ficar atentos e dar limites, em alguns casos:

1) é comum a criança querer imitar o amiguinho, mas não podemos deixar que ela perca a sua identidade.

2) quando ocorrem brigas não podemos deixar que se agridam, mas é importante dar espaço para que eles  se entendam e aprendam a se defender e respeitar o próximo. Devemos proporcionar momentos de disputa através de  jogos e brincadeiras, mas sem nunca estimular brigas.

 

Nesta fase as crianças precisam da participação dos pais para intensificar a amizade, fazendo isto com passeios e visitas e cabe a nós avaliar se a criança e sua família compartilham dos mesmos princípios e valores . E caso não seja, devemos afastalá-las aos poucos para não causar traumas. Mas só devemos interferir neste aspecto, e deixar que elas escolham quem querem como amigos e principalmente como “melhor amigo”. Afinal como diz o velho ditado popular “amigo é a família que escolhemos”. Os primeiros amiguinhos surgem, geralmente na escola, na família ou na vizinhança…

 

Dica: antes de deixar seu filho passar o dia na casa de um coleguinha é importante que os pais se conheçam. para saberem os hábitos e comportamentos daquela família.

 

1) Podemos começar a pensar na possibilidade de deixar nosso filho passar o dia na casa de um coleguinha, ou parte dele, ou de chamar alguém para a nossa casa, quando eles já conseguem se alimentar sozinhos e ter uma certa autonomia, isto ocorre por volta dos 3 a 4 anos.

 

2) Já as noites são mais complicadas. A criança precisa já estar dormindo sozinha, não ter medo de escuro e preferencialmente não fazer xixi na cama, para que não haja constrangimentos de nenhuma das famílias.. O que acontece geralmente por volta dos 6 ou 7 anos.

 

No mais é só fiscalizar e deixar que os pequenos criem e desenvolvam seus laços de amizades.

 

Acho que já mencionei isto antes: eu dou muito valor às minhas amizades, mesmo àquelas que eu não vejo há tempos e não nos falamos com frequência… Tenho AMIGOS verdadeiros! Algumas destas amizades começaram bem cedo, com pessoas que conheço desde os 2 anos de idade (isso foi ontem, kkkkk) estudamos juntas, dividimos alegrias e tristezas durante uma vida inteira!!! Fiz mais amigos ao longo do tempo, na faculdade, no trabalho e agora já fiz amigos até por causa da minha filha, mas nem por isso eu me afasto das “velhas” amizades. É sempre bom SOMAR! E esta é uma lição que tento passar para a minha filha: na vida quanto mais amigos melhor!!

 

Beijos a todos que de alguma forma se tornaram meus amigos, mesmo que virtualmente!!!

Faça Seu Comentário