Ateliê Criativo

 

O Ateliê Criativo é um projeto que vem para resgatar o afeto, a conexão entre filhos e famílias, um projeto que vem para fortalecer o amor.

 

Segundo as idealizadoras do projeto são Camila Domingues, pedagoga e educadora (Coordenadora da Escola Encontro) e  Tetê Brandão, arquiteta e contadora de histórias (UniDUniTetê), tudo nasceu do sonho de poder proporcionar a muitas famílias a possibilidade do restabelecimento das conexões simples do afeto familiar que muitas vezes ficam em segundo plano pela correria do dia-a-dia do mundo contemporâneo. O Ateliê Criativo é um espaço de resgate, sem tempo, sem pressa, a única regra é o amor!

 

Com o formato de oficinas criativas, os primeiros módulos já estão agendados para novembro de 2016, sempre com propostas diferentes e inovadoras.

 

Serviços:

 

Data: 12 e 26 /11/16

Hora: das 9:00h às 11:30h,

Local: Escolinha de Artes da Rua do Cupim, Graças.

 

Idade: Para crianças de 6 meses a 6 anos (divididas em 2 turmas de acordo com as faixas etárias). Turma 1: 6meses a 1 ano e 10 meses e turma 2: 2 a 6 anos

 

Proposta:

Turma 112/11/16 musicalização e artes (com Nataly Gomes) e sensorialidade (com Bia Lima) e Leitura e 26/11/16 Histórias (com Luciano Pontes) / Artes e Sensorialidade (com Bia Lima).

Turma 2 - 12/11/16 Artes e Sensorialidade (com Bia Lima) e 26/11/16 Dança Criativa (com Renata Botelho).

 

Valor: R$60,00

 

As inscrições deverão ser feitas através do e-mail: ateliecriativo.recife@gmail.com
Para mais informações: Tetê (81) 992928992
Acompanhe pelo Instagram: @ateliecriativo.recife

 

Vila 7 Jardim dos Bichos

O mundo encantado dos animais toma conta do charmoso casarão da Toyolex em mais uma edição do Dia das Crianças da Vila 7, a festa Jardim dos Bichos conta com a estreia do projeto musical Bandalelê, com show exclusivo e temático do Tio Bruninho, exposição de animais, um camarim onde os pequenos podem se vestir de bichinhos e uma programação extensa de recreação, oficinas, biketeca e muito mais. O ambiente contará também com um food park formado por Pé-de-sacolé, Frutas no pote, Docecleta, Popcorn e Hasta La Pizza.

 

Iniciativa de Ju Lins (Vila 7) e realizada em parceria com Ju Martins (Libre Promo), esta edição contará, pela primeira vez, com a presença de animais de pequeno porte como patinhos, carneirinhos e pôneis. Para recebê-los, foi pensado em um espaço especial e seguro sob supervisão da veterinária Cecília Martins.

 

“A ideia da festa Jardim dos Bichos é trabalhar em família a importância do cuidado e respeito das crianças com os animais. Além do contato com os bichinhos, as crianças curtirão apresentações especiais como a da Bandalelê com o show “Que Bicho É” com repertório dedicado à obra infantil de Vinícius de Moraes, além de atividades de recreação inspiradas nos animais”, conta a produção.

 

Mas eu não poderia fechar esta matéria sem contar uma grata surpresa que acabei de ter: na formação desta nova banda, tem nomes bem conhecidos do público de Recife e que moram em meu coração!!!!!!

Vocalista: Mariane Bigio / Bateria e backing vocal: Milla Bigio /Baixo: Erlani /Percussão: Jackson Amil / Violão e guitarra: Matheus / Flauta transversal, piccolo, teclado e backing vocal: Samuel / Bailarino: Jeff / Bailarina: Leila Côvo /Coreógrafa: Teka Freitas / Figurinos e adereços: Luciano Pontes Direção artística: Luciano Pontes / Realização: Libre Promo
Bandalelê é um projeto musical pensado para divertir pais e filhos. O repertório do show “Que Bicho É”  é um tributo à Vinícius de Moraes que teve suas canções revisitadas com arranjos vibrantes da cultura popular pernambucano como frevo, maracatu, baião e forró.

 

SERVIÇO:

Jardim dos Bichos da Vila7

Quando: 08/10/2016

Onde: Jardins do Casarão da Toyolex (Av. Rui Barbosa, 1105)

Horário: a partir das 15:30h

Ingressos: R$ 60,00 (adulto) R$30,00 (criança) – à venda nas lojas da Vila 7 do Shopping Recife, Riomar e Toyolex / adesivo para estacionamento R$10,00 (apenas 200 vagas)

Informações: 81. 3326-3818

Em briga de irmãos quem dá opinião?

Hoje é dia de Dica de Livro e eu trouxe um muito legal, que além de ter um texto divertido onde a criança poderá brincar exercitando a memória, ainda irá conhecer um pouco mais sobre os Santos Cosme e Damião: Em briga de irmãos quem dá opinião?

 

Desde que eu comprei este livro que eu quero indicá-lo para vocês, mas esperei para fazer próximo ao dia dos Santos, que foi ontem 27 de setembro, mas ano passado terminei esquecendo, então este ano fiquei em alerta para não passar novamente!!!

Por aqui quando tem briga de irmãs eu dou opinião para por fim na confusão e por aí como é???

Sinopse:

Cosme e Damião – dois irmãos. Um dia, os dois ganham um presente do coronel Rubião. Ou melhor, cada um ganha um presente: um pacote do doce mais doce que o doce de batata-doce. Damião como devagarinho. Cosme, ao contrário, come rápido feito um bode e ainda por cima pega o doce do irmão. Parece que as coisas vão azedar. Mas afinal, nessa briga, quem dá opinião?

 

Ficha Técnica

Livro: Em briga de irmãos quem dá opinião?

Autor: Luciano Pontes

Ilustrador: Roberto Weigand

Editora: FTD

Indicado: para crianças a partir dos 4 anos

Seu Rei Mandou…

O espetáculo Seu Rei Mandou estreia, neste final de semana, mais uma temporada no Teatro Marco Camarotti, aqui em Recife: IMPERDÍVEL!!!!!!! Sou suspeita para falar, pois adoro o trabalho de Luciano, mas acho que realmente vale a pena ir assistir e comprar os livros, que são lindos! #JaFui e #VouDenovo. É um espetáculo leve e divertidíssimo, que consegue entreter os públicos adulto e infantil!

 

Foto: Lana Pinho

 

A peça é reflexo da ampla pesquisa que Luciano Pontes desenvolve há anos sobre tradição oral, narração e contação. Com histórias que tratam do universo fabuloso dos reis, através de releituras cômicas e poéticas, ora críticas, mas sempre lúdicas, Seu Rei Mandou recupera o prazer em ouvir histórias e devolve ao público o rico imaginário dos contos populares. O espetáculo promove um diálogo entre a contação de histórias, a música e o teatro de formas animadas, para falar da trajetória de tirania, bravura, esperteza e bonanças de três reis. Três contos são levados ao palco: A Lavadeira Real, O Rato que roeu a Roupa do Rei de Roma e O Rei chinês Reinaldo Reis.

 

O espetáculo Seu Rei Mandou, da Cia Meias Palavras, faz nova temporada a partir deste sábado (16) até o dia 28 de maio, no Teatro Marco Camarotti, no Sesc Santo Amaro. As apresentações são aos sábados e domingos, sempre às 16h, com ingressos custando R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada). Há quatro anos no repertório da companhia, a montagem tem texto, direção, figurinos e atuação de Luciano Pontes, acompanhado no palco pelo músico Gustavo Vilar.

 

Uma das novidades dessa temporada, que conta com o incentivo do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura), é que as crianças (e também os pais) poderão não só assistir ao espetáculo, mas ainda ler os contos que deram origem à peça. O livro Seu Rei Mandou, lançado em outubro do ano passado, poderá ser adquirido no teatro, ao preço popular de R$ 20,00. O título, que marcou a estreia do selo editorial Edições Meias Palavras, foi escrito e ilustrado por Luciano Pontes. O projeto gráfico é uma parceria entre o dramaturgo e a designer Hana Luzia.

 

Durante a temporada, a Cia Meias Palavras realiza também o Espaço Itinerante de Leitura nos Teatros, um projeto de incentivo à leitura. No foyer do teatro, antes de cada sessão, o grupo instala um espaço para leitura partilhada de livros que serviram de inspiração para suas criações ou que tenham uma ligação temática com o enredo apresentado nos espetáculos da companhia. O acervo sobre histórias de reis reúne 27 títulos, composto para o espetáculo Seu Rei Mandou. O projeto conta ainda com mais de 30 livros sobre oralidade, causos, cordéis e contos populares, utilizados para o espetáculo As Travessuras de Mané Gostoso.

 

Sobre a Cia Meias Palavras

 A Cia Meias Palavras surgiu em 2012, por iniciativa de Luciano Pontes, com a intenção de pesquisar e criar espetáculos a partir da tradição oral, dos contos populares e das linguagens teatrais. Em sua trajetória, a Companhia montou os espetáculos Seu Rei Mandou e As Travessuras de Mané Gostoso, desenvolvendo ainda o projeto Espaço Itinerante de Leitura nos teatros que receberam as peças.

Em 2015, a companhia realizou o Projeto Pense no Drama, com oficinas, conversas e leituras sobre a dramaturgia para crianças. Há ainda o projeto Histórias de Porta em Porta, com sessões de histórias autorais contadas de casa em casa, em comunidades.

No ano passado, a Companhia decidiu investir na literatura e na dramaturgia, lançando o selo editorial Edições Meias Palavras, com a publicação dos contos que deram origem ao espetáculo Seu Rei Mandou.

 

Foto: Lana Pinho

 

Sobre Luciano Pontes

Ator, escritor, ilustrador, dramaturgo e palhaço do Programa Doutores da Alegria no Recife. Possui formação livre em teatro e dança. Atuou no Mamulengo Só-Riso durante oito anos. Criador da Cia Meias Palavras, escreveu os livros infantojuvenis: Ouvindo as Conchas do mar, uma história sem pé nem cabeça, O carrossel do tempo, Disse me disse e Belizbel, todos pela Editora Paulinas, além dos títulos Deslembra, pela Editora Larousse Lafonte, e Em Briga de irmãos quem dá opinião?, pela editora FTD. Para teatro, escreveu os textos Seu Rei Mandou…, publicado pelo selo editorial Edições Meias Palavras, e As Travessuras de Mané Gostoso.

Quem conhece vira fã, sou suspeita para falar kkkkk

 

Serviço:

 Seu Rei Mandou

Quando:De 16 de abril a 28 de maio, aos sábados e domingos, às 16h

Onde: Teatro Marco Camarotti – SESC Santo Amaro (Rua Treze de Maio, 455,Santo Amaro)

Quanto: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia-entrada)

Informações: 81. 3216-1728

 

Ficha técnica Seu Rei Mandou:

 Criação, adaptação e concepção: Luciano Pontes

Intérprete: Luciano Pontes

Músico: Gustavo Vilar

Pesquisa musical, composição e arranjos: Gustavo Vilar e Luciano Pontes

Figurinos: Luciano Pontes

Iluminação: Luciana Raposo

Produção: Cia Meias Palavras

Se algum dia me vir chorando

Hoje eu trouxe um texto que me cativou desde o início e a cada palavra mais me envolvia e emocionava, me fazia refletir… Por isso solicitei uma autorização aos Doutores da Alegria para compartilhá-lo com vocês e espero que vocês também se encantem, se toquem e acima de tudo reflitam!

 

É o relato de uma visita do meu querido e admirado Luciano Pontes, ou melhor, Dr. Lui a um hospital aqui de Recife, mas serve para refletirmos muito além das paredes das enfermarias.

 

Quantas vezes desistimos de pessoas, de situações e até de nós mesmos por tão pouco? Muitas vezes um simples gesto de carinho e atenção, a sensibilidade de saber o que aquela pessoa precisa naquele momento, mesmo que ela esteja dizendo ou demonstrando o contrário…

 

Quantas vezes você, por causa do estresse do dia a dia, descarregou todos os seus problemas em cima de alguém muito querido e que não tinha culpa de nada? Quantas vezes seu filho chegou e saiu sem que você entendesse o que ele queria?? Para muitas pessoas, independente da idade, é difícil expressar seus sentimentos, então vamos ter mais sensibilidade e prestar mais atenção às mensagens do nosso coração?! Vamos nos permitir abraçar mais, ouvir mais, amar mais…

 

“Nem sempre os besteirologistas são queridos à primeira visita.

 

É preciso, muitas vezes, o tempo da conquista até que os laços de estabeleçam. E esse é o caminho que leva e eleva os encontros aos momentos felizes dentro de um hospital. E como nem tudo é fácil, é preciso persistir e achar, ao menos, uma brecha no meio de um choro imbuído de medo, manha ou outro sentimento de vulnerabilidade de uma criança, por exemplo, para a transformação crescer.

 

Naquele dia, a pequena D. chorou bem depois de termos tido a permissão para entrar na enfermaria e de ter nos olhado três vezes. A sua mãe, fonte e porto seguro, não estava ao seu lado e isso agravou a reação. Enquanto ela chorava, as outras crianças esperavam, ávidas, a vez de a brincadeira acontecer com elas. É sempre comum, ao vermos uma reação de choro de uma criança, acreditarmos que não é conveniente nossa presença e partirmos. Nessas situações me pego pensando que sair, desistir, é o caminho mais fácil e previsível.

Às vezes, claro que não dá para seguir, noutras tem sempre uma chance. E talvez eu acredite sempre na outra chance. É que o meu desejo por dentro e fora da máscara que uso é de ir além, de mudar, de conseguir conectar e estabelecer um canal de comunicação sem desistir tão fácil do encontro só porque tem choro. Isso é um desafio, um risco, um abismo cheio de possibilidades.

 

E foi sem medo de partir o fio, e percebendo que aquele choro era porque ela acreditava que por trás daquela máscara não havia um ser gente, um humano chorão feito ela, que decidi ir além. Enquanto a razão pedia para sair, ir embora, a emoção pedia que arriscasse atravessar o limiar. Assim foi que, ao lado de sua mãe, retiramos o nariz vermelho de palhaço que somos e revelamos o “nosso segredo”. E eis que a fonte secou e o olho brilhou, mas sem rir.

 

Ela se viu no espelho dos nossos olhos e reconheceu uma criança, mais adulta que ela, e que sabia e queria brincar.

E assim saímos, sem mais som nenhum de choro, apenas um olhar silencioso e curioso acompanhando nossas ações e brincadeiras com as outras crianças da enfermaria. Se fôssemos embora, desistido dela, o choro não seria alento do desconhecido. Ao menos agora, ela saberá que o mistério está além do que se quer ver e o que se vê é real como ela é.

 

E se algum dia me vir chorando, não vá embora e nem desista de mim.”

 

Dr. Lui (Luciano Pontes)
Hospital Barão de Lucena – Recife

 

Para finalizar coloquei esta música que  para mim é uma poesia, “e quando eu estiver triste, simplesmente me abrace…” Simplesmente de Nando Reis e Samuel Rosas.